sexta-feira, julho 14, 2006

Bons resultados do passado não garantem o sucesso sempre

A polêmica em torno do atacante Ronaldo da seleção brasileira parece não ter fim, mas pode ser um bom exemplo para tirarmos conclusões acerca do mundo dos negócios, em especial do empreendedorismo.

É comum muitos empreendedores basearem-se no que já fizeram em outros momentos e na sua experiência para convencer as pessoas de que possuem capacidade de execução, de atingir objetivos, conquistar resultados e fazer acontecer. Eu diria que o acúmulo de bons resultados no passado credencia muitos empreendedores a buscar novos desafios. Um bom exemplo para validar esta tese ocorre ao analisarmos o processo de negociação com investidores e capitalistas de risco.

Se você perguntar a um capitalista quais os fatores que ele ou ela leva em consideração para decidir se investe ou não em um negócio, certamente se deparará com as seguintes questões: “O mercado está crescendo e tem boas perspectivas? O planejamento (plano de negócios) apresenta uma estratégia clara para conquistar uma boa participação neste mercado? A equipe envolvida no negócio é experiente, conhece do assunto, tem sucessos e fracassos que os credenciam estar à frente do negócio?” Você pode estar se questionando: “... fracassos que os credenciam? Como assim?”

Em relação a esta última frase cabe uma análise mais detalhada. É isso mesmo, as pessoas no mundo dos negócios são avaliadas pelo o que têm conquistado em sua história de vida, seus sucessos e também seus fracassos. Ter fracassado em determinados momentos também conta pontos, porque mostra que a pessoa tem tido iniciativa, buscado algo diferente e aprendido com novas experiências. Estas experiências a credenciam para os desafios à frente.

Em empreendedorismo conta muito o histórico do empreendedor, o que tem feito, o que tem conquistado, como tem trilhado seu próprio caminho... Este conjunto de experiências dá ao empreendedor mais confiança para seguir à frente dos negócios, pois ele sabe o que funciona e o que não funciona, como abordar certos mercados e como negociar com clientes e fornecedores. A criatividade surge da curiosidade e experimentação. Por isso surgem os chamados empreendedores seriais, aqueles que iniciam vários negócios e que, na maioria dos casos, são bem sucedidos.

As experiências do passado dão ao empreendedor algo insubstituível: saber antes o que outros ainda vão aprender. E isso fará a diferença em momentos decisivos. Por isso, antes de falar que alguém não tem mais o talento do passado, ou que está fora de forma, devemos analisar todas as suas realizações para uma conclusão mais precisa. Devemos lembrar que empreendedores são pessoas diferenciadas e que saem com maestria de momentos de crise. Às vezes até ficam mais motivados nestas situações... Ronaldo já mostrou isso antes. Talvez possa mostrar de novo.

No próximo texto, voltarei a falar das seções do plano de negócios. Até lá!