terça-feira, julho 25, 2006

Foco ou diversificação: difícil decisão

É comum que empreendedores envolvidos no início de novos negócios sintam-se motivados e com uma energia espetacular para implementar novas idéias. A vontade de fazer acontecer supera qualquer obstáculo operacional. Mas este ímpeto nem sempre traz resultados interessantes quando a diversidade não pode ser implementada, já que o empreendedor não ganha escala, ou seja, ele não se multiplica. Sendo direto, eu diria que o empreendedor envolvido em uma empresa start-up (em fase inicial de desenvolvimento) deveria priorizar o FOCO e não se preocupar em diversificar em demasia.

Estranho? Acho que você vai concordar comigo. No início de qualquer negócio, salvo raras exceções, a empresa tem uma estrutura enxuta, com poucos funcionários e poucos recursos. Além disso, não possui marca difundida e histórico no mercado, ou seja, precisa se mostrar, conquistar a primeira grande conta ou vender para um cliente âncora. Muito precisa ser feito para conquistar a fidelidade de clientes e o comprometimento de fornecedores.

O empreendedor líder deverá estar à frente destas ações e por isso não terá alternativa ao foco. Ao focar, poderá conhecer cada vez mais o seu modelo de negócios e validar ou reformular sua abordagem e otimizar seu produto com base na avaliação dos clientes. Não é por acaso que empreendedores de sucesso quando contam suas histórias lembram-se que no início é super importante ter foco, para não se distrair com idéias a todo o momento e sair da rota.

Desvios de rota sempre ocorrerão na fase inicial. Eu diria que é praticamente impossível acontecer exatamente tudo que foi planejado (caso você tenha feito um planejamento), pois as premissas e o contexto mudam muito rapidamente.

Porém, quando o empreendedor sentir que já está bem estabelecido no mercado (o que pode ocorrer geralmente a partir de um ano) é hora de pensar em diversificação, em conquistar novos mercados, novos clientes, desenvolver novos produtos e continuar a inovar. Provavelmente a empresa já terá outra estrutura e permitirá ações mais abrangentes.

É claro que existem exceções à regra e você sempre encontrará negócios que se desenvolvem rapidamente diversificando desde o início. Mas como eu disse, são exceções. Em um ambiente cada vez mais competitivo e com clientes cada vez mais exigentes o empreendedor deve ser o melhor em sua área de atuação. E isto só se conquista com foco total, resistindo sempre à tentação de novas idéias e projetos. É dizer “não” a oportunidades que podem aparecer em momentos, digamos, inadequados. E isso é complicado para todo empreendedor, pois se trata de uma pessoa curiosa e atenta às oportunidades. Bom, mas saber falar “não” é outro dilema do qual trataremos em outra oportunidade. É isso aí.

2 Comments:

At 1:31 PM, Anonymous Reinaldo Alves said...

Caro Professor Dornelas,

Concordo contigo quando disse que manter o foco na fase inicial de um negócio é fundamental para o desenvolvimento de uma empresa. No entanto acho que o empreendendor deve estar atento ás oportunidades que por ventura apareçam no caminho do desenvolvimento, ou seja, existem momentos que são únicos e que não podem ser desperdiçados pelo empreendedor que precisa de uma base sólida para o crescimento de sua empresa. Precisamos estar sempre antenados com o que o mercado tem á nos oferecer!!! Mas isso é uma mera e simples opinião!!!

Um abraço,

Reinaldo Alves

reinaldooi78@hotmail.com

 
At 5:15 PM, Anonymous Anônimo said...

Caro Prof. Dornelas

Concordo com a sua colocação, uma empresa em inicio de vida, tem que ter foco, com isso ela vai formar uma base sólida, que é primordial a uma empresa em início de carreira e focando na empresa podemos identificar possíveis acertos de direção e tendências dos nossos clientes

Um grande abraço,

Júlio César Meirelles
julio_bytecompany@hotmail.com

 

Postar um comentário

<< Home