quinta-feira, julho 13, 2006

Não comece um negócio sem responder a estas perguntas

Se você está buscando criar um negócio e não sabe por onde começar, a seguir proponho um conjunto de questões simples que servirá de base para que sua idéia seja validada e se transforme em oportunidade. Lembre-se, como citei em textos anteriores, o que importa é identificar uma oportunidade de negócios e que não é a idéia que faz a diferença.

Para que você tenha clareza quanto ao tipo de negócio pretende montar, responda: “Qual é o seu negócio?” Parece simples responder, não? Mas não é bem assim. A resposta tem que ser específica, como por exemplo: “Meu negócio é a prestação de serviços de limpeza corporativa para empresas de médio porte da capital paulista”. Note que neste caso o negócio está bem definido e que a empresa não atenderá residências, ou a micro e grandes empresas e, ainda, clientes fora de São Paulo.

Admitindo que você já tenha clareza quanto ao tipo de negócio e produtos ou serviços que pretende oferecer, busque responder ainda às demais questões que apresento aqui.

“O que você realmente vende?” Continuando com o mesmo exemplo anterior, seria simples dizer “serviços de limpeza”, mas não basta. Procure mostrar o seu posicionamento ou diferencial em relação à concorrência. Pense em quesitos como qualidade, preço, durabilidade, confiança, pontualidade, eficiência, etc., mas tome o cuidado para não querer ser bom em tudo, pois é difícil. Veja o que a clientela busca, o que a concorrência não faz e tente oferecer algo que preencha esta lacuna.

A terceira questão que proponho refere-se ao mercado-alvo.

“Você consegue identificar com clareza qual é o seu mercado?”

Explico: qual o nicho específico de mercado, setor, região, perfil de consumidor. A dica é você identificar o perfil de um cliente-alvo e, a partir daí, tentar levantar o tamanho do mercado em Reais e em número de clientes potenciais. Não basta falar que o mercado é o Brasil todo, que envolve 180 milhões de pessoas. Isso simplesmente não funciona. A dica aqui é focar em um “pedaço do bolo” e tentar conquistá-lo.

Se o negócio é uma drogaria de uma pequena cidade com 30.000 habitantes, o seu dono deve saber com que outros negócios vai concorrer e qual o índice médio de consumo da população local, lembrando que a segmentação pode ainda ser feita por idade (crianças, adultos e idosos), por sexo e por padrão de renda etc..

Mas onde conseguir estes dados para a sua cidade? No site do IBGE há uma vasta quantidade de informações sobre a população brasileira. É um bom ponto de partida.

Para finalizar, eu havia prometido falar de algumas idéias quentes do momento. Em época de grandes eventos, como a Copa do Mundo, vale a pena pensar em produtos que estejam relacionados ao futebol. Mas tente inovar, oferecendo algo além das tradicionais camisetas, bonés e chaveiros... Nos próximos textos abordarei o plano de negócios, a principal ferramenta de gestão dos empreendedores. Até lá!

1 Comments:

At 5:25 PM, Anonymous Anônimo said...

Interesting

 

Postar um comentário

<< Home