sexta-feira, abril 13, 2007

Dilema do Marcus

Olá, meu nome é Marcus e sou proprietário de uma loja de materiais para construção. O negócio começou pequeno, há mais de 20 anos, e hoje é a loja que mais vende na cidade. Além de mim, a equipe conta com 23 funcionários, sendo um deles o gerente.

Recentemente, chamei meu filho, de 21 anos, para trabalhar comigo e para se inteirar sobre o negócio que um dia será dele. Tenho tentado ensinar tudo a ele, assim como nosso gerente e alguns vendedores. O garoto é inteligente e aprende rápido, mas não tem muito compromisso com horário e às vezes parece estar lá só por “obrigação”.

Esse tipo de comportamento gera comentários negativos entre os funcionários e chego a sentir-me incomodado com o olhar de alguns quando os repreendo ao chegarem atrasados ou por não cumprirem prazos e metas.

Imagino que a presença de meu filho, com seu comportamento reprovável, esteja prejudicando o ambiente sério de trabalho e isso pode atrapalhar nos negócios. Por outro lado, preocupo-me também com a sucessão e continuidade do negócio que hoje sustenta nossa família.

Gostaria de opiniões sobre o que fazer, já que reprimendas ao meu filho não surtiram efeito. Devo afastar meu filho do negócio e vender a empresa quando quiser me aposentar? É possível preparar meu filho para que ele mude de atitude e possa levar o negócio adiante?

Obrigado!

5 Comments:

At 8:44 AM, Anonymous Anônimo said...

Prezado Marcus,

Não é por tratar-se de um negócio familliar que a família deve necessariamente assumir postos de gestão. Este é um negócio como qualquer outro e deve ser competitivo para perdurar. Se você sente que seus filhos não têm aptidões de líderes, eles devem ser preparados para ser apenas acionistas (ou cotistas) do negócio. Não será preciso "vender" sua empresa quando quiser se aposentar. Prepare outros profissionais (talvez seu atual gerente) para a sucessão administrativa. Deste modo, as chances do negócio prosperar para além de seu tempo são maiores e sua família poderá tirar sustento dali por mais tempo. É importante, portanto, que se tenha uma equipe de gestão classe A, e que seus filhos sejam preparados para planejar objetivos, estratégias e metas para essa equipe.

Bons negócios!

Victor Lemos

 
At 5:34 PM, Blogger Marcio Nobrega said...

Ola Marcus,

Concordo com o vitor, não é nescessario vender a empresa e nem colocar seu filho para tomar conta dos negocios. Porem o muleque é novo, tem muito o que amadurecer ainda, e eu sugiro que voce ensine ele a importancia da empresa e do negocio para sua familia de outro modo. De independencia financeira para o seu filho, se ele trabalhar como qualquer outro funcionario ganha como qualquer outro, se não trabalhar corretamente que saia da empresa como qualquer outro funcionario e vá trabalhar com o que quiser, porem, não o deixe aos 21 anos ser seu dependente financeiramente, e mesmo que ele ainda more com voce, faça-o pagar a sua parte do aluguel, do mercado e de todas as contas da casa, assim ele irá perceber que é só com o trabalho que se tem as coisas, e que sua familia tem as coisas por causa do seu trabalho na empresa.

Deixe seu filho, ao poucos, ir se tornando idenpendente financeiramente, assim ele terá uma visão diferente das coisas.

Boa sorte!

 
At 3:05 PM, Anonymous Anônimo said...

Marcus,
Primeiro, é necessário uma conversa séria com seu filho.Saber qual é o interesse dele pelo seu empreendimento.Se houver um diálogo franco entre pai e filho, aí então, a partir do resultado dessa conversa você parte para o planejamento da sucessão ou possível venda do negócio.
Paulo R Matias

 
At 4:30 PM, Anonymous Anônimo said...

Marcus,
Será que a falta de interesse dele não está ocorendo porque ele está se sentindo "idiota"? Conheço alguns casos de pais empreendedores que trazem os filhos para trabalhar com ele mas que acham que ele deve ficar eternamente "aprendendo" e nunca dá nenhuma responsabilidade real! Em alguns casos, o pai deixa o filho na mão dos funcionários (que começam a achar e a tratá-lo como um perfeito idiota).
Sugiro que converse com o seu filho sobre como ele se sente quando está na empresa e dê a ele a gerência de algum setor para começar! Entregue responsabilidades a ele e faça-o sentir-se empreendedor... Ouça suas opiniões e deixe que ele teste algumas de suas idéias na empresa... Sentindo-se responsável e vendo seu sucesso, a responsabilidade virá e chegar cedo (e sair mais tarde) acontecerá normalmente, por prazer e não por obrigação...
É o que penso.
Ana

 
At 10:42 PM, Anonymous Telma said...

Sugiro que tenha paciência, afinal tenho convicção que não obteve tal empreendimento da noite para o dia, procure encontrar a área certa, ou seja, em qual setor ele se sente mais a vontade, não precione, talvez falte somente mais tranquilidade, procure ouvi-lo antes de exigir.

 

Postar um comentário

<< Home