segunda-feira, junho 25, 2007

Dilema da Angélica

Olá, meu nome é Angélica, sou filha do fundador e atualmente uma das sócias de uma micro empresa fabricante de brinquedos educacionais, com 9 funcionários. No mês passado, tive um problema com a compra dos vales transportes dos funcionários e pedi à secretária afixar um comunicado informando que o vale transporte só chegaria no dia seguinte, por conta de um imprevisto. Mais tarde, iria reunir os funcionários para explicar o ocorrido e dar o valor das passagens (volta e ida do dia seguinte) em dinheiro para os que precisassem.

Logo após a fixação do comunicado, três dos funcionários entraram na minha sala e um deles começou a reclamar em tom elevado: "Para você é fácil, é filha do dono! Pega seu carro e vem para cá... E nós?" Nervosa e sem saber o que fazer, pedi para que eles voltassem a seus postos de trabalho. Comecei a me acalmar e decidi chamar um por um dos funcionários para conversar em particular para explicar sobre o problema do VT e perguntar se tinham algum problema com a empresa.

Os dois que também foram na minha sala em companhia do reclamante negaram que tinham problemas e que só foram reclamar por que foram convencidos pelos outros. Quando chegou a vez do que gritou comigo, ele assumiu sua responsabilidade, abriu o jogo de todos os funcionários, relatando a insatisfação geral, e informou que alguns deles chegaram a consultar o sindicato para saber se tinham direito na participação dos lucros.

Enfim, pessoalmente prefiro ter ao meu lado alguém que faz algo e assume a outros que fazem e depois tiram o corpo fora... Mas não sei o que fazer neste caso! Esse episódio me deixou extremamente frustrada, principalmente porque sempre procurei ser amiga dos funcionários. O que faço? Mando a pessoa que gritou comigo embora, mando os três que foram na minha sala ou não mando ninguém e mantenho tudo como está?

Por gentileza, me ajudem a resolver essa questão!!!

5 Comments:

At 10:37 PM, Anonymous Anônimo said...

Ao meu vê Angelica, deve analisar o desempenho dos seus funcionários junto a empresa, caso esse que gritou com você tenha um bom desempenho, realmente seja pontual e eficiente em seus feitos, deva considerar sua sinceridade como um ponto de positivo e realmente mantê-lo e desconsiderar os outros e ter uma conversar séria, pois o crescimento de uma empresa depende do desempenho dos funcionarios.

 
At 8:10 AM, Anonymous Carlos said...

Oi, Angélica.
É uma situação complicada, mas em seu lugar eu despediria o funcionário que gritou, mesmo sendo ele muito bom. Nós podemos ser sinceros e reinvidicar sem extrapolarmos e sem desrespeitarmos as pessoas. Se ele ficar impune, daqui a algum tempo outros estarão gritando na sua sala. Logo após a demissão dele, eu faria uma reunião informando aos outros funcionários que ele foi demitido não porque reinvidicou, mas porque desrespeitou sua autoridade enquanto gerente. Que todos fiquem à vontade para criticar, reinvidicar, negociar, conversar... mas jamais ousem desrespeitar a gerência e uns aos outros.
É o que penso.
Abraço!

 
At 4:32 PM, Blogger Marcio Nobrega said...

Concordo com o Carlos, se voce quer comandar uma empresa é presiso ser respeitada como a sua função exige, e o que voce relatou é que não há esse respeito. E ao meu ver esta generalizado. Eu particularmente, demitiria o cara que gritou, entregaria uma advertencia formal aos outros e convocaria uma reunião com todos os funcionarios, que são poucos, para explicar que quem manda é voce e que gente querendo trabalhar tem um monte. E se há tanto descontentamento, descubra o que causa isso, evitar que se chege a esse ponto é sua função e ao que parece voce não vem se dando bem em cumprir essa parte da função. E outra coisinha mais, aproveite a situação e reavalie sua condição, sua postura, e toda a sua empresa, os funcionaios todos estão errados e voce certa? ou é o contrario? Para ser um bom lider as vezes é presiso reconhecer que não sabe liderar e pedir ajuda...pense nisso.

Boa sorte e sucesso.

 
At 7:22 AM, Blogger Sergio said...

Bom Angêlica, acredito que o maior problema foi a forma como o foi dado o comunicado sobre o vales transportes, alguma coisa saiu errada nesse processo. Apesar de dizer que empregados existem aos montes, mão de obra qualificada está escassa, infelizmente. Se essa questão do vale é a única irritação dos funcionários me pareceu um ato muito pequeno para um protesto muito grande. Será que existe uma insatisfação também com salarios, eles estão em dias? Pergunto pq na minha empresa, ja tive problemas parecidos, mais o vale me pareceu apenas um estopim. Hoje infelizmente você tem que saber que funcionário não é seu amigo, e que qualquer beneficio extra, participação no lucros, premiações, etc, só irá funcionar se os salários estivirem em dia. Faça uma reunião, seja humilde, peça desculpe pela sua falha no comunicar a falta do vale, chame o funcionário que lhe desrespeitou e faça agir sua autoridade com uma advertência, e que outra situação parecida ele estará fora da equipe.

Espero ter ajudado,
Bom trabalho e Sucesso

Sérgio Falcão

 
At 2:45 PM, Blogger Sandra said...

Angélica,

Nunca use o recurso de demitir um bom funcionário para resolver questões deste tipo. Neste sentido,, vcs dois estariam medindo força.
Neste caso, vc tem que exercitar a sua liderança, e muitas vezes, isso significa vc ter que conversar e fazer ele entender que agiu errado. Outra coisa, seria mostrar a todos os outros funcionários que vc está agindo da forma correta e justa com eles e o fato de ter tido problemas com a entrega do vale-transporte não é e nunca foi intenção de negar um direito adquirido.
Lembre-se... vc não precisa apenas de funcionários, mas de colaboradores e a diferença entre os dois, é que o primeiro executa ordens e o segundo acredita na sua gestão e será seu aliado nas conquistas da empresa.
Desta forma, naturalmente o grupo irá rejeitar este tipo de comportamento e aos poucos, este tipo de profissional ficará visivelmente deslocado ou então, irá se tornar um dos seus mais fortes aliados.

 

Postar um comentário

<< Home